Ergonomia

Anterior Próximo

Análise Ergonômica do Trabalho (AET): tem como objetivo atender os requisitos da portaria nº 3751, de 23 de novembro de 1990 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que regulamenta a NR17 – para amenizar os desconfortos osteomusculares relacionados ao trabalho, bem como justificativa perante o Fator Acidentário Previdenciário – FAP

  • Ergonomia de Concepção:
    Tem como objetivo agir no início do projeto de uma máquina, produtos, processos, postos  e ambientes de trabalho e até mesmo sobre uma nova unidade fabril;
  • Ergonomia de Correção:
    Atua diretamente em anomalias que se traduzem em problemas de segurança e no conforto do trabalhador e até mesmo na insuficiência de produção e/ou qualidade.
  • Ergonomia de conscientização:
    Capacitar, treinar e orientar os trabalhadores a seguirem o que está escrito na documentação;
  • Comitê de Gestão:
    Decidir sobre os investimentos na empresa ou postos de trabalho;
  • Comitê Médico:
    Discutir os casos do nexo causal;
  • Comitê Técnico:
    Elaborar projetos e/ou alterações nos postos conforme solicitado pelo ergonomista ou em observações levantadas nas análises ergonômicas;
  • Inclusão:
    Projetar postos para pessoas com necessidades especiais. Modificar acessos para que os colaboradores com alguma deficiência tenham acesso facilitado no interior da fábrica, banheiros, escritórios, entre outros.